Header Ads Widget

Pernambuco tem 22 casos suspeitos de reinfecção por Covid-19


Para ser confirmada a reinfecção pelo novo coronavírus, de acordo com o Ministério da Saúde, é necessária a apresentação de dois testes do tipo RT-PCR positivos para a Covid-19 com um intervalo mínimo de 90 dias entre os testes. O Brasil confirmou, nesta quinta-feira (10), o primeiro caso de reinfecção confirmado pelo Governo Federal. Em Pernambuco, 22 pessoas apresentaram estas comprovações e estão em suspeita de reinfecção, com caso investigado pelo Ministério da Saúde.


O número de casos suspeitos de reinfecção foi divulgado pelo secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo, em coletiva realizada nesta quinta-feira (10). 


"Nesse momento já fomos notificados de 22 possíveis casos de reinfecção. Desse total, 5 amostras foram encaminhadas ao Instituto Evandro Chagas e outras três seguem hoje, totalizando oito. Sendo quatro do Recife, dois de Olinda, um de Exu e um de Santa Cruz. Outras nove estão em análise do Lacem. São das cidades de Caruaru (2), Recife (2), Água Preta (1), Fernando de Noronha (1), Palmares (1), Paulista (1) e São José do Egito (1). Também foram descartados cinco casos que não se enquadraram em análise preliminar feita aqui", informou.


A última atualização do número de casos suspeitos de reinfecção foi divulgada no dia 25 de novembro. Na ocasião, foram informados 10 casos de reinfecção.


O gestor informou que pessoas que tenham testado duas vezes para o vírus devem informar ao município, para que a reinfecção seja investigada. "Para além da reinfecção, existe a reativação viral. É preciso considerar essas variáveis e fazer investigação adequada para ter a confirmação ou não", disse. 


Na confirmação da reinfecção no País, o Ministério da Saúde informou que o vírus Sars-cov-2, causador da Pandemia, tem ao menos duas linhagens. Na coletiva, André Longo informou que o sequenciamento do vírus mostra mais variações. "O sequenciamento genético do Sars-cov-2 tem mostrado até mais do que duas linhagens, já há relato de oito linhagens diferentes do vírus", informou. 


De acordo com o gestor da saúde estadual, o risco da reinfecção reforça a necessidade de cuidado. "Não é por que se teve uma vez que significa que você não possa ter novamente", ressaltou. Longo afirmou que é um percentual pequeno de pessoas que se reinfecta, mas ninguém pode dizer que está livre definitivamente de uma segunda reinfecção. 


Por conta disso, a vacinação contra a Covid-19 pode ser similar ao que se tem contra a influenza anualmente. "Em relação às vacinas, há uma possibilidade muito concreta de necessidade de você ter vacinas anuais, como tem para influenza", informou Longo.


Fonte: Folha de Pernambuco

Postar um comentário

0 Comentários