Últimas

6/recent/ticker-posts

Influencer é presa suspeita de vender cosméticos falsificados

Foto: Polícia Civil / Divulgação

Uma influencer de 21 anos, que tinha mais de 100 mil seguidores no Instagram, e três pessoas da família dela foram presas por adulterar cosméticos para a pele e vender remédios sem autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A influencer se passava por estudante de biomedicina e dizia que tinha criado um método exclusivo para tratamento estético. As prisões ocorreram em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, mas os suspeitos fizeram vítimas em todo Brasil. 

O pai da suspeita, de 49 anos, a mãe, de 54, e o marido da jovem, de 25, também foram presos. A família mantinha um laboratório clandestino de cosméticos na casa da família e uma clínica de estética em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte.

O caso foi apresentado pela Polícia Civil nesta segunda-feira (12). De acordo com a delegada Andrea Pochmann, no laboratório, os suspeitos falsificavam e adulteravam vários cosméticos para a pele, principalmente para tratar melasmas, ou seja manchas escuras no rosto. 

“Ainda não sabemos quais substâncias eram usadas. Os cosméticos foram encaminhados para a Anvisa para passar por avaliações. a suspeita alterava produtos, colocava rótulos dela em produtos de outras marcas e oferecia tratamento por ingestão sem ter autorização para isso”, explicou. 

Segundo a delegada, a influencer também ministrava cursos sobre estética sem ter qualificação para isso. A jovem tinha ainda uma clínica de estética em Contagem e vendia seus produtos para todo Brasil pela internet.  Pelas aulas dos cursos ela cobrava em torno de R$ 5 mil e pelos kits com os produtos cerca de R$ 1.500. “Algumas pessoas fizeram empréstimos e gastaram cerca de R$ 20 mil a R$ 30 mil. Elas não queriam nem devolver os produtos para serem encaminhados à Anvisa”, contou. 

Embora ainda não se saiba o que foi colocado nos produtos, há relatos de vítimas que tiveram queimaduras na pela após utilizarem os comésticos. A influencer chegou a ter uma linha de produtos autorizada pela Anvisa, mas até mesmo essa mercadoria ela adulterava. Fotos de “antes” e “depois” de clientes eram postados no Instagram, mas as imagens também eram alteradas no programa de computador Photoshop. 

A suspeita trabalhava com estética desde os 15 anos. A família vivia em uma casa de luxo e ostentava uma vida de alto padrão. “É uma menina, de 21 anos, muito bonita e chamava a atenção pela questão luxuosa, pela ostentação. Ela viaja, tirava fotos, já estava com um carro de luxo e já estava residindo em uma casa também luxuosa em um condomínio de Contagem de alto padrão”, enfatiza a delegada.

A polícia investiga o esquema a cerca de um mês. Já foram ouvidas algumas vítimas e também os responsáveis pelos produtos originais que eram vendidos como sendo da suspeita ou com adulterações. Além dos quatro mandados de prisão, a polícia também cumpriu mandados de busca e apreensão em três residências da família e na clínica. Foram apreendidos produtos, matéria-prima, celulares, computadores e documentos. 

O pai da influencer chegou a passar mal ao ser preso e foi levado para um hospital. Depois de ser atendido, os quatro foram encaminhados ao sistema prisional. Eles negaram os crimes. A rede social da influencer foi retirada do ar. Ainda não se sabe quantas vítimas foram feitas, mas a polícia estima que seja um número alto por que a suspeita tinha mais de 100 mil seguidores no Instagram. 

A Polícia Civil pede que quem tiver sido vítima da influencer para procurar a delegacia. O nome da suspeita não foi divulgado. As investigações seguem em andamento. 

Fonte: Portal O Tempo

Postar um comentário

0 Comentários