Header Ads Widget

Menino de 5 anos encontra dente de tubarão pré-histórico em praia dos EUA

Foto: Reprodução/Revista Galileu 

Justo no dia de seu aniversário de 5 anos, o pequeno Brayden Drew teve a surpresa de encontrar um dente de megalodonte, uma espécie extinta de tubarão pré-histórico, em uma praia no estado norte-americano da Carolina do Sul.

O garoto estava de férias com a família na cidade costeira de Myrtle Beach, em 20 de maio, quando achou o dente preto na areia. O fóssil de 10 centímetros é quase tão grande quanto a mão do menino, como é possível ver em fotos postadas pela mãe dele, Marissa Drew, no Facebook.

De acordo com o Museu de História Natural de Londres, na Inglaterra, o megalodonte (Otodus megalodon) foi uma espécie de tubarão gigante, que tinha até 18 metros de comprimento, sendo três vezes maior do que o maior tubarão-branco moderno (Carcharodon carcharias).

A palavra megalodonte significa “dente grande” e estima-se que a dentição do animal pudesse chegar ao tamanho de até 18 centímetros. Sua mandíbula com 276 dentes tinha cerca de 2,7 por 3,4 metros de largura — o suficiente para engolir dois adultos lado a lado.

Já se sabe que o megalodonte foi extinto no final do Plioceno, quando o planeta entrou em uma fase de resfriamento global. A data precisa da morte do último megalodonte não é certa, mas a mais recente estimativa sugere que foi há pelo menos 3,6 milhões de anos, segundo o museu.

A descoberta do dente do tubarão da espécie encantou os pais de Brayden, tanto que a família pensa em emoldurar o fóssil preto e buscar por mais itens. "Meu marido agora está determinado a continuar procurando outros dentes", diz a mãe do menino, ao site da Newsweek. "Ele encontrou uma enorme concha em Cancún há alguns anos. Então, acho que é de família".

Jack Cooper, estudante de doutorado que investiga megalodontes na Universidade de Swansea, no Reino Unido, analisou o dente encontrado pela criança e confirmou à Newsweek que ele pertence à mandíbula do tubarão ancestral Otodus megalodon.

Cooper estima que o animal em questão media de 10 a 12 metros e pareceu impressionado pela descoberta. "Estou com muita inveja que [Brayden] encontrou um dente tão legal em tão tenra idade — essa seria o achado dos meus sonhos!", afirma o cientista.

Já Adam Smith, curador do Museu de Geologia Bob Campbell, nos Estados Unidos, explicou à revista norte-americana que a coloração preta do fóssil de megalodonte se deu devido a um processo chamado lixiviação, que fez com que fosfato mineral presente no fóssil fosse extraído para as células dentárias ao longo do tempo.

Da redação do Blog Brejo Notícias
*Com informações do Portal Revista Galileu

 

Postar um comentário

0 Comentários