Últimas

6/recent/ticker-posts

Queda de meteoro é flagrada no céu de São Paulo, Paraná e Santa Catarina

Imagem: Luiz Duda (@myskybr)

Um meteoro pode ser visto no início da noite da última quinta-feira (08) cruzando o céu de três estados do Brasil. O fenômeno espacial foi flagrado por câmeras do Clima ao Vivo e da Rede Brasileira de Observação de Meteoros (Bramon).


As câmeras que capturaram as imagens do meteoro em seu caminho estão localizadas nos municípios de Florianópolis, Morro Grande e Monte Castelo, em Santa Catarina; Telêmaco Borba, no Paraná; e em Cerqueira César, Pardinho e Nhandeara, no estado de São Paulo.


Com uma câmera “All Sky”, que cobre todo o céu, Luiz Duda também conseguiu capturar o momento da passagem do meteoro, direto de Ponta Grossa, no Paraná. Na imagem é possível ver a trilha luminosa deixada pelo meteoro em tamanho maior, junto a uma menor, no topo, do Telescópio Espacial Hubble.


Em coluna publicada no Olhar Digital, o astrônomo Marcelo Zurita, membro da Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) e diretor técnico da Bramon, explicou que estamos passando por um aumento nas detecções de asteroides e meteoros, mas isso não é o sinal do fim dos tempos.


Mas, o que é um meteoro? Asteroides e cometas são objetos que orbitam o Sol em alta velocidade, entre 40 mil km/h e 266 mil km/h. Ao atingir a atmosfera terrestre nessa velocidade, mesmo pequenos fragmentos, como grãos de areia, pode aquecer gases atmosféricos, gerando o fenômeno luminoso que recebe o nome de meteoro, popularmente conhecido como estrela cadente.


“Asteroide é um pedaço de rocha espacial em órbita do Sol, que pode medir de um metro a centenas de quilômetros. Os menores de um metro são chamados de meteoróides. Quando atingem a atmosfera da Terra, asteroides e meteoróides geram um fenômeno luminoso conhecido como meteoro. A diferença entre eles é sutil”, disse Zurita.


Quanto maior o objeto, mais luminoso é o meteoro. “Eles têm sido cada vez mais detectados, pelos telescópios que buscam por asteroides próximos à Terra, e pelas câmeras que registram a passagem de meteoros pela atmosfera”, completou o astrônomo.


Da redação do Blog Brejo Notícias

*Com informações do Portal Olhar Digital

Postar um comentário

0 Comentários