Últimas

6/recent/ticker-posts

Brasil sob risco de tsunami: o que isso significa e por que existe esse risco?

Foto: Reprodução/ Site de Curiosidades

O Brasil é um país muito privilegiado quando o assunto é meio ambiente. É por aqui que esta a maior floresta tropical do mundo, não temos ciclone, nevascas, terremotos, tornado e outras dezenas de fenômenos naturais que podem ser devastadores. No entanto, isso não significa que não sejamos afetados por eles.


Agora, por exemplo, o Brasil esta sob o risco real de enfrentar uma tsunami e o motivo é um vulcão na Espanha. Não parece fazer sentido? Para entender como isso é possível, basta enxergar o mundo como uma grande engrenagem única. Esse assunto pode ser um pouco confuso porque temos a tendência de enxergar o mundo geopoliticamente.


Quando olhamos para o Globo Terrestre, estamos sempre muito programados a enxergar países, territórios. No entanto, além de toda a questão geopolítica, o mundo é um só. É isso que tanto é discutido a respeito dos ecossistemas. Tudo esta conectado e é preciso que tudo funcione bem para que o mundo funcione de forma adequada.


Dito tudo isto, vamos ao personagem da história, o Cumbre Vieja. O vulcão esta localizado na Ilha de La Palma, que integra o arquipélago espanhol conhecido como “Canárias”. Você provavelmente conhece as “Ilhas Canárias”, certo? Esses trechos de terra em meio ao alto-mar pertencem ao território espanhol.


Instituições que monitoram a movimentação do Cumbre Vieja alertam sobre os riscos de erupção. Neste momento, o vulcão esta em alerta amarelo e o mais importante é entender seu raio de alcance. Caso entre em erupção, o Cumbre Vieja pode gerar ondas fortes o suficiente para atingir todo o continente americano, do norte ao sul.


Um vídeo, divulgado pelo Correio 24 Horas, mostra o poder do impacto das ondas. As áreas mais afetadas seriam o norte e nordeste brasileiros:


Adormecido há décadas

Fazem décadas desde a última vez que o vulcão teve alguma atividade monitorada, mas desde o último sábado (11), isso mudou. O aumento da movimentação subterrânea gerou uma verdadeira onda de apreensão e isso tem se espalhado mundo a fora. O mais assustador de tudo isso é que não há nada a ser feito, trata-se de um fenômeno ambiental e que não pode ser interrompido.


Ainda assim, existe esperança. Segundo Carlos Teixeira, pesquisador da Universidade Federal do Ceará, que atua no Instituto de Ciências do Mar, as chances de uma tsunami avassaladora são “mínimas”. Em entrevista ao UOL, ele declarou o seguinte:


“Ele não estava dando sinais de erupção, mas agora ele chegou a um segundo nível. São quatro níveis de alerta. Ele pode vir a ter uma erupção, mas não significa que essa erupção vai gerar um tsunami, mas é uma possibilidade, mesmo que mínima”


O professor procurou tranquilizar, na medida do possível, a população. Para que aconteça a tsunami, a erupção do Cumbre Vieja precisaria ser explosiva, o que não é uma regra. Além disso, mesmo com uma erupção explosiva, explica Teixeira, as chances de ondas gigantes não são tão certas assim. Isto é, é certo que o mar vai estar agitado, mas não necessariamente observaremos ondas de 8/10 metros.


“Se essa possibilidade de erupção ocorrer, não significa que vai ser explosiva; se for, não quer dizer que vai chegar aqui com ondas de oito, dez metros; pode chegar aqui bem menor” explicou o professor.


Da redação do Blog Brejo Notícias

*Com informações do Portal Site de Curiosidades

Postar um comentário

0 Comentários