Últimas

6/recent/ticker-posts

Podemos comer alimentos após retirar a parte com mofo? Entenda

Tri Curioso

A ingestão de alimentos estragados ou mofados pode trazer consequências ruins para a saúde. Isso porque eles podem conter microrganismos ou toxinas que podem causar uma infecção ou intoxicação alimentar. Além disso, pode causar dor e desconforto abdominal, diarreia, gases, vômitos, febre, fraqueza e risco de desidratação.


Com isso, torna-se importante saber se o alimento está estragado ou pode ser consumido. Para tal, pode-se identificar algumas características como prazo de validade, cor, cheiro, consistência e aparência.


É importante armazenar o produto adequadamente mesmo durante o prazo de validade. Isso porque, caso contrário, ele pode estragar mais rapidamente, como no caso do leite e dos derivados.


A Food Standard Agency (FSA), agência que regula produtos alimentícios no Reino Unido, não recomenda consumir alimentos que tenham partes estragadas ou que contenham mofo, ainda mais se se tratar de crianças, idosos, mulheres grávidas e pessoas com sistema imunológico debilitado.


Já o médico e apresentador Michael Mosley, em documentário para a BBC em 2014, ingeriu alimentos mofados, sob a orientação do especialista em mofo Patrick Hickey. De acordo com o médico, se jogar o mofo e uma fina camada do produto abaixo do mofo fora, o alimento poderá ser consumido.


Queijos mofados

Para identificar se o queijo está estragado é importante verificar sua cor e textura, além de levar em consideração o tipo de queijo. Veja a opinião de Michael Mosley sobre os tipos de queijo.


Para os queijos cheddar e parmesão podem ser consumidos após cortar a parte mofada, com cuidado para não contaminar a faca. Já os queijos secos não oferecem a umidade necessária para o bolor prosperar, com isso, normalmente, o mofo não penetra abaixo da superfície.


Vale lembrar que alguns queijos são deliberadamente infectados com fungos. O Penicillium roqueforti é o fungo que dá o sabor dos queijos gorgonzola e roquefort.


Por outro lado, os queijos macios são os que precisam de maior atenção. A presença do fungo nas peças sugere a contaminação por fungos e bactérias nocivas, como listeria e salmonella. Neste caso, se estiverem mofados, jogue fora!


Pães mofados

De acordo com Hickey, se no fundo da embalagem tiver uma fatia de pão coberta por pequenos fragmentos de mofo branco e azul é apenas necessário cortar a parte estragada. No entanto, é importante prestar atenção no tipo de mofo, se vierem com manchas laranjas, amarelas ou pretas, deve-se jogar o pão fora.


Em contrapartida, a FSA adverte contra comer pão mofado. A agência acrescenta que o pão dormido pode ser utilizado em algumas receitas.


Frutas, legumes e verduras estragadas

Para analisar se as frutas, legumes, e verduras estão estragadas deve-se analisar a aparência do alimento. Porém, em alguns casos, pode ser retirado apenas o pedaço ruim e comer o resto.


Apesar das frutas normalmente durarem mais do que verduras e legumes, deve-se ficar de olho nas maçãs. Isso porque se houver furos nas cascas, os fungos podem entrar.


“Houve surtos graves no passado, incidentes de pessoas sendo intoxicadas por tomar suco de maçã estragado, que continha uma toxina chamada patulina”, explica Hickey.


Além disso, não é recomendado o consumo de alimentos com a aparência ligeiramente viscosa, porque ela é formada por colônias de bactérias que crescem na superfície do alimento.


“Você provavelmente teria uma dor de estômago terrível em algumas horas, seguida de cólicas estomacais e diarreia”, alerta Hickey.


Alerta da FSA sobre o consumo de alimentos mofados

De acordo com a agência, algumas espécies de mofo podem produzir toxinas que possuem efeitos adversos em seres humanos e também em animais. Mesmo que seja possível retirar o mofo e uma quantidade significativa de produto ao redor dele, você remove as toxinas visíveis no alimento, mas não há garantia de que retira todas elas.


Quais preocupações de comer um alimento mofado

Quando consumimos algum alimento mofado ou impróprio para o consumo, pode ocorrer intoxicação ou infecção alimentar em razão da presença de toxinas ou de microrganismo. Comer estes alimentos podem causar sintomas como dor e desconforto abdominal, cólica intestinal, gases e arrotos, diarreia, febre, náuseas, enjoo e vômito, além de fraqueza e desidratação.


Os sintomas podem aparecer depois de minutos, horas ou poucos dias após comer o alimento estragado.


*Com informações do Portal Fatos Desconhecidos

Fonte: BBC, Tua Saúde

Postar um comentário

0 Comentários