Header Ads Widget

Últimas

6/recent/ticker-posts

Número de mortes pelas fortes chuvas em Petrópolis chega a 80; buscas continuam

(foto: Carl de Souza/AFP)

As autoridades de Petrópolis, município da região serrana do Rio de Janeiro, revisaram para 80 o número de mortos após as chuvas intensas e os mais de 200 deslizamentos de terra registrados na terça-feira na antiga cidade imperial.


Segundo os últimos dados do Instituto Médico Legal local, o município alcançou os 80 mortos, sendo oito crianças, com dados complicados na tarde desta quarta-feira (16) pela Defesa Civil da Prefeitura desta cidade turística, 68 km ao norte da cidade do Rio de Janeiro.


O número de desaparecidos não foi divulgado pela equipe do Corpo de Bombeiros, mas um cadastro feito pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro mostra que pelo menos 35 pessoas são procuradas.


Na última terça-feira (15/2), a cidade registrou 26 milímetros de chuva em apenas seis horas. A quantidade é mais do que o esperado para todo o mês de fevereiro. Várias ruas da cidade foram alagadas e pontos de acolhimento para pessoas que vivem em locais de risco foram abertos.


O prefeito do município, Rubens Bomtempo, decretou luto de três dias pelas vidas perdidas na tragédia. “Estamos trabalhando para dar uma resposta rápida e efetiva para a nossa população”, disse ele nas redes sociais. Ele pediu ajuda ao governo federal para ajudar as vítimas.


Por sua vez, o presidente Jair Bolsonaro (PL), está na Rússia para ter reuniões com o presidente do país, Vladimir Putin, e também falou sobre as chuvas na cidade de Petrópolis. “Retorno na próxima sexta-feira e, mesmo distante, continuamos empenhados em ajudar ao próximo. Deus conforte aos familiares das vítima", disse ele.


As equipes de resgate tentam remover a lama e os escombros para encontrar sobreviventes. Enquanto isso, vários moradores observam a cena, incrédulos, se assustando cada vez que ocorre um barulho mais alto, como a passagem de helicópteros.


Órgãos públicos e associações de diversos setores anunciaram medidas para reunir doações e ajudar no atendimento às vítimas da chuva torrencial. O Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro organizou um mutirão com os juízes para agilizar e ordenar os documentos necessários para a identificação e liberação de corpos no Instituto Médico Legal (IML). Por causa dos danos causados à infraestrutura da cidade, os fóruns não funcionaram nesta quarta-feira, e os prazos processuais foram suspensos.


Fonte: Portal Estado de Minas 

Postar um comentário

0 Comentários