Anestesista vira réu por crime de estupro de vulnerável no Rio de Janeiro

Foto: Reprodução/ TV Globo

A Justiça do Rio aceitou nesta sexta-feira (15) a denúncia do Ministério Público e tornou réu o anestesista Giovanni Quintella Bezerra. O médico foi preso por estupro de uma mulher grávida. Ele foi filmado durante o parto no Hospital da Mulher Heloneida Studart, na Baixada Fluminense.

A denúncia apresentada pelo MP aponta o crime de estupro de vulnerável e foi aceita pelo juiz Luís Gustavo Vasques, da 2ª Vara Criminal de São João de Meriti, na Baixada Fluminense. De acordo com o documento, "os crimes em questão foram cometidos contra mulher grávida e com violação do dever inerente à profissão de médico".

"Giovanni Quintella Bezerra, agindo de forma livre e consciente, com vontade de satisfazer a sua lascívia, praticou atos libidinosos diversos da conjunção carnal com a vítima, parturiente impossibilitada de oferecer resistência em razão da sedação anestésica ministrada", dizia um trecho da denúncia.

Além da condenação, o MPRJ pediu também uma indenização em favor da vítima, no valor não inferior a 10 salários mínimos.

Apesar de o inquérito do caso ainda não ter sido concluído pela Polícia Civil, o Ministério Público entende que já há elementos suficientes para fazer a denúncia.

A Polícia Civil investiga mais de 40 possíveis casos de estupro de pacientes de Giovanni Quintella. Esse número representa o total de procedimentos cirúrgicos que contaram com a participação do anestesista. Apenas no Hospital da Mãe, em Mesquita, o médico participou de 44 cirurgias.

Até esta sexta-feira (15), a polícia já ouviu 23 testemunhas que estiveram com Giovanni Quintella em procedimentos cirúrgicos.

Fonte: G1 Rio de Janeiro

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem