Header Ads Widget

Últimas notícias

6/recent/ticker-posts

Febraban alerta para o golpe da tarefa; entenda o que é e saiba como se prevenir

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Criminosos têm usado aplicativos de mensagens para oferecer renda extra em troca da realização de tarefas simples na internet, como curtir fotos, fazer comentários, assistir a vídeos e seguir contas de empresas e lojistas em redes sociais. A prática é conhecida como o "golpe da tarefa". 

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) alerta para o golpe, que promete dinheiro rápido e fácil.

"No começo, parece ser uma oportunidade de ganhar dinheiro de forma fácil. Os golpistas até pagam as comissões das primeiras tarefas, até que oferecem uma tarefa pré-paga com promessa de ganhos elevados. E é neste momento que aplicam o golpe. Bloqueiam o usuário do grupo e somem, levando a vítima a ter um grande prejuízo financeiro", alerta o diretor do Comitê de Prevenção a Fraudes da Febraban, Adriano Volpini.

O golpe começa quando a vítima recebe uma mensagem no aplicativo de mensagem do celular. O bandido se apresenta como um funcionário de uma empresa de marketing digital responsável por selecionar interessados para trabalhar on-line.

Em seguida, o criminoso diz que seu objetivo é ajudar comerciantes a melhorar o reconhecimento e a exposição de seus produtos da internet. A principal atividade do trabalho, portanto, é fazer pequenas tarefas diárias. Os ganhos podem começar em R$ 100 e chegar a R$ 1,5 mil por dia, segundo a promessa dos bandidos. 

Quando o participante aceita a proposta, ele é incluído em um grupo de mensagens. No começo, o usuário realiza as tarefas e o golpista até chega a depositar dinheiro na conta da vítima para "gerar credibilidade". Esse montante, no entanto, é sempre em valores baixos, como R$ 10, R$ 15 ou R$ 25.

O golpe acontece quando o usuário é incumbido de fazer uma tarefa pré-paga, em que é preciso fazer um pagamento para poder participar. O golpista então alega que o participante irá recuperar o dinheiro no mesmo dia.

Outras pessoas que estão no grupo mandam comprovantes de pagamentos recebidos após a realização das tarefas e assim induzem a vítima a continuar no esquema.

Essas tarefas pré-pagas, no entanto, têm valores mais altos. Por exemplo, dizem que é preciso fazer um pré-pagamento de R$ 1 mil, para receber no mesmo dia um valor de R$ 1,5 mil. Os pagamentos podem chegar a ordem dos R$ 7 mil, em troca de um pagamento de R$ 9 mil.

“Pare, pense e sempre desconfie de proposta de trabalho que você tenha que pagar antes de receber o dinheiro. Outra recomendação é desconfiar de promessas de vantagens exageradas. E jamais deposite dinheiro na conta de quem quer que seja com a finalidade de garantir uma oportunidade ou um negócio”, acrescenta.

A melhor forma de se proteger de uma tentativa de golpe é a informação, alerta a Febraban. Por isso, para que o cliente possa se proteger de golpes de engenharia social — que consiste na manipulação psicológica do usuário para que ele lhe forneça informações confidenciais, como senhas e números de cartões, ou faça transações financeiras em favor de quadrilhas de criminosos — a Febraban e seus bancos associados têm investido constantemente e de maneira massiva em campanhas de conscientização e esclarecimento com a população por meio de ações de marketing em TVs, rádios e redes sociais.

Como agir após cair no golpe

No caso de o cliente ter sido vítima de algum crime, é preciso notificar imediatamente seu banco para que medidas adicionais de segurança sejam adotadas, como bloqueio do app e senha de acesso.

Quanto mais rápida for a comunicação, maior será a possibilidade de recuperação do valor junto a outros bancos. Também deve ser registrado um boletim de ocorrência.

Fonte: Folha PE

Postar um comentário

0 Comentários