Header Ads Widget

Últimas notícias

6/recent/ticker-posts

Segundo ataque de onça parda é registrado em menos de uma semana no Sertão de Pernambuco

Foto: Alexandre Marchetti/Itaipu Bin

Um segundo caso de ataque envolvendo uma onça parda foi registrado no Sertão pernambucano.

Segundo a Agência Pernambucana do Meio Ambiente (CPRH), esse novo registro foi em Belém de São Francisco.

A cidade fica a 90 quilômetros de Carnaubeira da Penha, onde aconteceu o primeiro caso.  

No dia 13 de janeiro, uma agricultora de 58 anos levou mordidas e arranhões de uma animal. 

A CPRH não informou o nome nem a idade da segunda pessoa atacada pelo animal. Também não há dados sobre o estado de saúde desa vítima.

De acordo com Joice Brito, analista em Gestão Ambiental da CPRH, os incidentes não devem ter ocorrido com um mesmo animal (indivíduo).

Ainda de acordo com a CPRH, a prática de caçadas de bichos que servem para alimentação de onças pardas pode ter relação com esses incidentes. 

"Para diminuir a ocorrência desses incidentes, as pessoas não devem praticar caça de animais silvestres nesses municípios", afirmnou, em vídeo divulgado nesta quinta (18).

Brito disse, ainda, que é preciso  fazer recomendações para os produtores rurais."Deixem animais de ciaação guardados, principalmente de noite, que é o horário de atividade de onças. Esses animais de criação devem ficar perto de áreas ilunimnadas", comentou. 

Para as pessoas, a CPRH recomenda que, se a pessoa avistar um animal desse porte,  não deve tentar tirar foto ou jogar pedras.

"Os incidentes de onça-parda com humanos são raros e pontuais, mas podem ocorrer", explicou. 

Nota da agência

Por meio de nota, a CPRH informou que tomou conhecimento, extraoficialmente, do caso envolvendo uma onça parda no Sertão do estado.

A agência reforça que o animal estava em vida livre em seu habitat natural e que, normalmente, a onça parda, bodeira ou suçuarana (Puma concolor) evitam a interação com humanos.

A CPRH orienta aos produtores rurais da região que, para evitar incidentes, que deixem os animais de criação e domésticos em local resguardado e próximo a área de boa iluminação no período noturno. 

A mesma orientação serve para as áreas com circulação de pessoas, manter uma boa iluminação e evitar aproximação com esses felinos.

Lei

A CPRH destacou que é contra a Lei agredir ou matar animais silvestres, como a onça-parda. A orientação é sempre manter a distância dos animais e acionar as autoridades responsáveis se for necessário.

A onça-parda é um animal silvestre, protegido por Lei. 

De acordo com essa norma, é crime matar, caçar ou maltratar animal silvestre. Quem cometer esses crimes responde criminalmente e administrativamente.

Fonte: Diário de Pernambuco

Postar um comentário

0 Comentários